Sineduc avança nas negociações e conquista 100% a mais no valor do Cartão Servidor. Negociações continuam.

Sineduc avança nas negociações e conquista 100% a mais no valor do Cartão Servidor. Negociações continuam.

Foi acertado no final da tarde desta sexta-feira (19) entre o Sineduc e a Prefeitura um reajuste de 100% no valor do cartão servidor. Com o acordo, o Cartão Servidor passa dos atuais R$ 103,49 para R$ 206,98 a partir da próxima recarga prevista para o mês de junho. Segundo a presidente do Sineduc, Perla de Freitas, o reajuste beneficia principalmente os servidores inseridos nas menores faixas salariais. Leia Mais

 

Sineduc na defesa dos direitos trabalhistas e previdenciários. Dia 28 tem GREVE GERAL!

abril 25, 2017 Sindical  No comments

Na próxima sexta-feira, 28 de abril, está agendada uma GREVE GERAL NACIONAL, onde as 9 Centrais Sindicais de Trabalhadores (CUT – Central Única dos Trabalhadores, UGT – União Geral dos Trabalhadores, CTB – Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil, FS – Força Sindical, CSB – Central dos Sindicatos Brasileiros, NCST – Nova Central Sindical de Trabalhadores, CONLUTAS, CGTB – Central Geral dos Trabalhadores do Brasil e INTERSINDICAL), convocam todos os trabalhadores a cruzarem os braços em defesa de direitos trabalhistas e previdenciários.

“GREVE GERAL NACIONAL: Ônibus, Metrô, Trens e Vans não estarão operando neste dia 28 de abril”

Na visão da diretoria do Sineduc, a disposição do governo Temer em retirar importantes direito dos trabalhadores é uma verdadeira afronta a cidadania. Caso seja aprovado gerará grande exclusão social, desemprego, aumento de doenças relacionadas ao trabalho e os trabalhadores terão enorme dificuldade em conseguir se aposentar em função do tempo de contribuição e idade mínima para garantir o benefício.

“Participar da GREVE GERAL NACIONAL do dia 28, é uma forma legítima encontrada pelo trabalhador para pressionar deputados e o governo federal para não destruírem direitos trabalhistas e previdenciários que foram conquistados com muita luta. Ainda que os defensores dessa afronta argumentem que seja necessário modernizar as leis trabalhista, nós trabalhadores não podemos aceitar! Devemos ir à luta e protestar por mais garantias e direitos”, disse a presidente do Sineduc, Perla de Freitas.

Ainda que o Sineduc tenha oficiado a prefeitura sobre a relevância e do direito legal da GREVE GERAL, o pagamento do dia da paralisação não está garantido.

“Neste momento de grande apreensão é necessário que toda a classe trabalhadora tenha consciência e pare suas atividades como forma de demonstrar o seu descontentamento com as reformas propostas pelo governo Federal. Neste momento, é preciso todos os nossos esforços para que tenhamos condições de trabalho decente e direito a aposentadoria”, concluiu Perla.

Segundo as orientações das Centrais Sindicais “a ideia é de um movimento pacífico, e todos os trabalhadores devem permanecer em suas casas, evitando-se que no dia 28 façam compras em estabelecimentos comerciais, se utilizem de serviços ou mesmo caixas eletrônicos”.

Deixe uma resposta